quinta-feira, março 23, 2017

Post 7006 Hoje no Google



Na wikipédia:
Hassan Fathy (23.3.1900, Alecandria, Egipto/30.11.1989, Cairo, Egipto)  foi um arquiteto, engenheiro e inventor egípcio. Crítico da industrialização da construção, voltou-se para o estudo das construções rurais da sua região, especialmente a construção artesanal com tijolos de adobe. 

Post 7005 - Desafio de Escrita 10/10 Fim

 Fim em apoteose, ou como deveria ter sido.
O céu cintilantemente azul deveria ter escurecido logo após os raios vermelhos que surgiram pálidos e não sintonizados com os trovões que ao invés os precederam
Mas onde é que se viu, ouvir-se o trovão antes do relampejar?
Ali, tinha de ser ali!
No chão os corpos de dois dos “mortos” surpreendidos com o trovejar antecipado não conseguiram evitar estremecimentos inausitados – estavam a rir!
Todos deveriam ter permanecido imóveis, enquanto a cortina desceria lentamente.
Ao invés, o céu não escureceu, raios rosados seguiram-se aos trovões, e nem os mortos ficaram quietos.
Mas tinha de ser logo na noite de estreia?!
Desisto! Pensou. Nunca mais volto a encenar qualquer peça com este bando de amadores incompetentes.
Nessa altura, começou a ouvir os aplausos. O público levantava-se para aplaudir entusiasticamente. Ouviu “bis” e “muito bem”.
Voltaram ao palco já ressuscitados os que tinham morrido durante a tragédia e juntavam-se aos heróis sobreviventes. O par romântico, ao qual fora apenas permitido um abraço e no último acto, sorria agora separado, o herói com os amigos, a heroína de mãos dadas com o vilão com ar zombie, com quem começara a “sair” dias antes.
Chamaram por ele.
Hesitou, só por segundos, mas foi juntar-se aos colegas.
Luzes acesas, reconhecia na plateia os pais e demais parentes e alguns professores. Todos pareciam bem animados.
Talvez a peça não tivesse corrido tão mal como pensara…
Ou estariam animados porque finalmente tinha acabado?
Iniciou e terminou com aquela peça de escola, a sua brilhante carreira enquanto encenador.
Muitos anos depois conseguia rir-se de si próprio, de como levara tudo tão a sério, da sua irritação com os falhanços técnicos e amadorismo dos actores – mas ali eram todos amadores, garotos de doze e treze anos.
E nunca esqueceu aquele fim.

quarta-feira, março 22, 2017

Post 7004 Livros - Divulgação

Pelo Continente, temos uma mesa de livros com o "Leve 2 Pague 1", com livros como A caminho de casa de Fabio Volo, A Elizabeth desapareceu de Emma Healey, És tudo o que eu quero de Giovanna Fletcher e O Fim das Estações de Will North.
E poderemos juntar a esta promoção os 15% em talão desta semana, que acresce aos 10% do Editor desconto (não que eu tenha trazido qualquer livro destes comigo ou sequer tenha parado a ver quais os livros que lá estavam).

terça-feira, março 21, 2017

Post 7003 - Terça-feira, 21.3.2017, Em cidade local de trabalho, "Poesia à mesa"

Egito Gonçalves
Sobre os poemas
Há poetas que constroem o mundo nos cafés,
outros que o fazem no claro-escuro
entre as prisões e os intervalos


António Aleixo
Os vendilhões do templo
Fazer bem não é só dar
Pão aos que dele carecem,
E à caridade o imploram,
É também aliviar
As mágoas dos que padecem,
Dos que sofrem, dos que choram

Olinda Beja
Quem somos?
continuaremos a plantar  café cacau
e a comer por gosto fruta-pão
filhos do sol e do mato
arrancados à dor da escravidão

Cláudia R. Sampaio
Tu sentado na praça
Comove-me esta imensa fila para se
chegar à ginja como se assim se chegasse
à verdade das coisas, aos braços tão curtos da solidão ibérica.
Comove-me a velha que sobe as saias em busca.
A juventude não vem

Joaquim Pessoa
Poema décimo nono
O poeta deve ser um conhecedor, um "maitre", aquele que cria
e dá a provar novos sabores, mais requintados uns que outros
Se não souberes cozinhar, não sirvas poemas a ninguém
Mais vale o jejum do que comida sem arte, nem tempero.

António Torrado
Sargo e parvo
Parvo, disse o sargo/ ao pargo. / Parvo, não. Pargo,
emendou o pargo.
Mas já a rede/ o puxava/ e  o levava/ do mar largo / para a costa.
Era mesmo parvo, /concluiu o sargo


Gonçalves, Egito - Os Arquivos do Silêncio, Lisboa: Portugália. 1963.
Egito Gonçalves nasceu em Matosinhos, em 1922. Começou a publicar livros de poesia na década de 1950. Esteve ligado a algumas revistas de poesia que fundou ou dirigiu. Poeta e tradutor, desempenhou um grande papel na animação cultural e literária do Porto. Foi um dos fundadores do Teatro Experimental do Porto.

Aleixo, António. Inéditos 1ª ed. Loulé: Vitalino Martins Aleixo, 1976
Antonio Aleixo nasceu em Vila Real de Santo António, em 1899- Foi um poeta popular português celebrizado hoje pela sua ironia e pela crítica social. É também recordado por ter sido um homem simples, humilde e semi-analfabeto que deixou como legado uma obra poética singular no panorama português da primeira metade do século XX

Beja, Olinda, Aromas de Cajamanga, São Paulo: Escrituras 2009. ISBN 978-85-7531-340-4
Olinda Beja nasceu em São Tomé e Princípe, em 1946. Poeta e narradora, publicou vários livros, nomeadamente, Bô Tendê? (poemas), 15 dias de regresso (romance) e Pé-de-perfume (contos). As suas obras têm sido objecto de estudo em várias universidades, nomeadamente no Brasil, Inglaterra, Alemanha, França, África do Sul.

Sampaio, Cláduia R. - Ver no escuro, Lisboa: Tinta-da-China, 2016, ISBN 978-989-671-303-4.
Cláudia R. Sampaio nasceu em 1981, em Lisboa. Em 2014 publicou o seu primeiro livro de poesia. Os dias da corja (Do Lado Esquerdo), seguindo-se A primeira urina da manhã (Douda Correria) em 2015. Desde então, tem colaborado em várias revistas e antologias de poesia. Vive em Lisboa com as suas duas gatas.

Pessoa, Joaquim - Guardar o fogo. (Moimenta da Beira): Esgotadas, cop. 2013 ISBN 978-989-8514--59-2.
Joaquim Pessoa nasceu no Barreiro em 1948. Poeta, artista plástico, publicitário e estudioso de arte pré-histórica, publicou mais de 27 livros, nomeadamente "Ano Comum" e "O Poeta Enamorado". Foi premiado três vezes pela sua obra. Conta com mais de 600 recitais da sua poesia, realizados em Portugal e no Estrangeiro.

Torrado, António - Como quem diz, 2ª ed. Lisboa, Assírio & Alvim, 2007. ISBN 972-37-1046-9
António Torrado nasceu em Lisboa em 1939. Poeta, ficcionista, dramaturgo, autor de obras de pedagogia e de investigação pediográfica, é um contador de histórias por excelência. Tem mais de 120 livros publicados, onde sobressai a produção literária para crianças.

Post 7002 O dia em que descobrimos que dois colegas e amigos poderiam ser alienígenas

Há dias estava a almoçar com dois colegas e resolvi partilhar com eles o meu entusiasmo por irem realizar uma sequela para fins de beneficência do filme O Amor Acontece, com a Lúcia Moniz e o Colin Firth.
Silêncio estranho.
Eles não tinham visto o filme!!!
Insisti na ideia de que poderiam tê-lo perdido no cinema, mas passou na televisão e é até um filme de Natal como Do Céu caiu uma estrela
Silêncio ainda mais estranho.
Eles não viram Do Céu caiu uma estrela!!!!!
Quase em pânico resolvi apelar para o último teste possível sobre se seriam ou não do Planeta Terra e... está tudo bem, não são de Marte, viram a Música no Coração.
Image result for love actually lucia monizImage result for filme o amor acontece

Image result for do céu caiu uma estrelaImage result for musica no coração



Post 7001 - Desafio de Escrita 1/10 Depois

Depois da escola iam os dois para casa (sempre gostou de contar esta história aos filhos e aos netos).
Ele ajudava-a às vezes, segurava-lhe os livros, mas só às vezes, na indiferença fingida do alto dos dois anos de idade que os separavam, e não obstante estar sempre tão ciente de que ela caminhava a seu lado. Ela falava muito, tentava cativá-lo com histórias de colegas e professores. Ouvia a sua voz clara e fina, perdia-se nos sons, e escapava‑lhe o sentido. Lá fora, o sol brilhava mais, afogueava-a nas faces rosa, levava‑a a tirar o casaco e o seu perfume de lavanda rodeava-o. Deixava-a à porta da casa dos pais dela, e continuava, porque a sua ficava um pouco mais longe. Pesavam-lhe os seus passos enquanto se afastava, mas levava com ele o seu perfume e presença.
Não disse à prima que gostava dela, não o admitia para si mesmo, porque eram primos, porque era mais velho dois anos, e naquela altura isso fazia dela uma miúda.
Os tios foram morar longe e deixaram de se ver. 
Passaram-se oito anos mas não a esqueceu.
Soube então que ela ia regressar à cidade para continuar os estudos e a diferença de idade entre eles parecia agora quase nada.
Encarregou-se de ir esperá-la à estação.
Ainda era Verão e estava um dia bonito em que o ar cheirava bem.
Foi para a linha do comboio e viu-o chegar. Das carruagens começaram a sair multidões. Receou perdê-la e pela primeira vez pensou que poderia não a reconhecer, até que a viu. Continuava a ter faces rosadas. Ela também o reconheceu, veio ter com ele e abraçou-o. Voltou a escutar a sua voz clara e fina, a perder-se em estar na sua presença, mas soube quando a olhou, que ia haver um depois.


Post 7000 - Livros 2017 (41, 42, 43 e 44 ) Nunca me deixes de Kazuo Ishiguro, Naughty Boss de Whitney G. e New Species, True e Brawn de Laurann Dohner

 Nunca me deixes de Kazuo Ishiguro, Naughty Boss de Whitney G. e New Species, True e Brawn de Laurann Dohner


Image result for livro não me abandone jamaisNunca Me Deixes



Sinopse no site da Wook
"SINOPSE
Kazuo Ishiguro foi elogiado no Sunday Times por «ampliar as possibilidades da ficção». Em "Nunca Me Deixes", que se encontra certamente entre as suas melhores obras, conta-nos uma extraordinária história de amor, perda e verdades escondidas.
Kathy, Ruth e Tommy cresceram em Hailsham - um colégio interno idílico situado algures na província inglesa. Foram educados com esmero, cuidadosamente protegidos do mundo exterior e levados a crer que eram especiais. Mas o que os espera para além dos muros de Hailsham? Qual é, de facto, a sua razão de ser?
Só vários anos mais tarde, Kathy, agora uma jovem mulher de 31 anos, se permite ceder aos apelos da memória. O que se segue é a perturbadora história de como Kathy, Ruth e Tommy enfrentam aos poucos a verdade sobre uma infância aparentemente feliz — e sobre o futuro que lhes está destinado.
Nunca Me Deixes é um romance profundamente comovedor, atravessado por uma percepção singular da fragilidade da vida humana."
(achei-o bem escrito, previsível e triste)

segunda-feira, março 20, 2017

domingo, março 19, 2017

Post 6098 Hoje no Google



Post 6097 Livros, divulgação - Email recebido da Almedina.pt

portes_gratis

Post 6096 Sexta-feira, 17.3.17 A Bela e o Monstro



A Bela e o Monstro (Beauty and the Beast) de Bill Condon, com Emma Watson, Kevin Kline, Dan Stevens e também Luke Evans (Gaston) Josh Gad (Le Fou) LeFou, interpretado por Josh Gad,  Ewan McGregor (Lumière), Ian Mckellen (o relógio Cogsworth) Emma Thompson (o bule Mrs. Potts) e Nathan Mack (chávena-criança Chip). Conto de Jeanne-Marie Leprince Beaumont (gostei muito do filme).
Image result for filme a bela e o monstro

Emma Watson como Bela em "A Bela e A Fera"Dan Stevens como Príncipe em "A Bela e A Fera"

Related image
Related image

(no final do filme, aplausos)

sexta-feira, março 17, 2017

Post 6095 - 11º Aniversário do blogue Dispersamente...

11º Aniversário do Blogue Dispersamente...
E para assinalar a data o seu autor criou este Diploma

Post 6094 Hoje no Google



Dia de São Patrício

Em breve pesquisa pelo Google: devemos vestir verde
e há pessoas que para celebrarem o dia beliscam quem não vestir verde!?

quinta-feira, março 16, 2017

Post 6093 - Desafio

.
Está a decorrer um desafio para descobrirmos qual é a música no blogue O Pacto Português,
,
(e quem souber pode também deixar uma pequena pista aqui)
(ou dizer mesmo qual é afinal a música)
(e quem é o músico português)

Post 6092 Logan e Kong

 Logan de James Mangold com Hugh Jackman, Patrick Stewart e Dafne Keen (gostei e não gostei, não parecia bem um filme dos XMen e sim um western)
Kong: A Ilha da Caveira (Kong: Scull Island) de Jordan Vogt-Roberts, com Tom Hiddleston, Samuel L. Jackson e Brie Larson (a história é conhecida, tem imagens de paisagens e cenas de acção incríveis).

Image result for cinema logan

Image result for cinema kong skull island


Post 6091 Desafio de Escrita - 9/10 Carta de Demissão

Porto, 15 de Março de 2017

Exma Srª. Directora de Recursos Humanos,


No seguimento do Contrato de  Trabalho celebrado a 1 de Março de 2016, entre mim e a Esdrúxula, Lda, venho, pela presente, comunicar a minha decisão de denunciar o referido contrato.
Para esse efeito considera-se que a Esdrúxula, Lda tomou conhecimento à data de emissão do presente carta de “Denúncia da Contrato” e a rescisão ocorrerá no dia 1 de Abril de 2017 fazendo jus ao acordado entre as partes, no dito contrato.
Permita-me antes de concluir esta carta que exponha com sinceridade os motivos para esta decisão.
Este foi o meu primeiro emprego e foi com entusiasmo e dedicação que abracei cada projecto.
Soube que atingia o que esperavam de mim pelas promoções, quadruplicação do salário inicial e atribuição de diversas compensações como a utilização de veículo Audi A5
No entanto, desde a formação inicial comecei a perceber que o meu envolvimento com a empresa ultrapassava o domínio profissional.
Mais do que qualquer compensação ou promoção era o seu reconhecimento e atenção que eu procurava
Sei que entre as regras da empresa se encontra a da proibição de relacionamentos entre os empregados mas quero acreditar que não lhe sou indiferente.
Consegui já colocação noutra empresa, não concorrente, onde irei desempenhar funções distintas mas com igual categoria e remuneração (e com a atribuição de veículo Audi A6).
Demito-me porque tenho a esperança que me queira rever e nada então o impeça (o meu número de telemóvel consta do meu curriculum e ficha)

Esperançosamente,
Demissionário apaixonado

Post 6090 Livros 2017 (36, 37, 38, 39 e 40) Novas Espécies de Laurann Dohner,Smiley, Números, Justice e Fury e Lumberjak de Jenika Snow

Novas Espécies de Laurann Dohner, Smiley, Números, Justice e Fury
e Lumberjak (lenhador) de Jenika Snow

terça-feira, março 14, 2017

Post 6089 Desafios de escrita


Tive a grande ideia de inscrever-me em mais um desafio de escrita que irá coincidir durante duas semanas com aquele em que me inscrevi há cerca de dois meses.
Agora só tenho de escrever um texto para o anterior e o prazo acaba amanhã, e depois escrever outro texto para o que começa agora cujo prazo termina nesta segunda-feira...
.

Post 6088 Pelo site da Fnac



(claro que eu estava a pensar passar lá só por passar e não ia comprar nada)

segunda-feira, março 13, 2017

Post 6087 - Divulgação - Campeonato de Escrita Criativa

.
E para quem possa estar interessado está para começar um novo Campeonato de Escrita Criativa, ver aqui: http://www.escritacriativa.org/campeonato-de-escrita-criativa/
.